Cultura

Exportações mato-grossenses para Itália cresceram 5,79%

As exportações dos produtos mato-grossenses para a Itália cresceram 5,79% nos quatro primeiros meses deste ano. No mesmo período, as importações atingiram 0,79% com a venda de US$ 696,001 de produtos daquele País para o Estado. Visando o aumento do comércio bilateral, intercâmbio e cooperação técnica, o secretário de Desenvolvimento Rural, Clóves Vettorato, viaja na madrugada desta terça-feira (13.06) para a Itália representando o Governo do Estado numa parceria com a Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio e Indústria.

O primeiro compromisso da comitiva integrada pelo presidente da Câmara Ítalo-Brasileira, Mario Buri, os prefeitos de Água Boa e Barra do Garças, Maurício Tonhá, e Zózimo Chaparral, respectivamente, e o agropecuarista Luiz Maria Salamoni, será em Turim, Noroeste da Itália, onde se iniciaram os contatos e reuniões com governadores de províncias, secretários, empresários, presidentes de bancos, associações comerciais e indústrias e reitores de universidades. O retorno está previsto para o próximo dia 20.

O objetivo da missão será dar continuidade ao intercâmbio e às negociações já iniciadas em Mato Grosso para troca de informações e relações comerciais nas áreas do agronegócio, meio ambiente, cultura e turismo. Mato Grosso e Itália querem cooperação mútua em diversas áreas. Os italianos, em visita ao Estado, no começo do ano, sinalizaram interesse em investir na exploração de biodiesel, açúcar, álcool e resíduos sólidos.

O secretário Vettorato irá apresentar às autoridades políticas e empresariais potencialidades na produção de grãos, fibras, carnes, madeira e biocombustível. A presença no Estado de três dos mais importantes ecossistemas do planeta – pantanal, cerrado e floresta amazônica – também será apresentado. Mato Grosso pretende, em breve, aderir ao movimento internacional de preservação ambiental com compensação econômica para seus proprietários. A finalidade é criar mais benefícios em prol da sociedade ao assegurar a manutenção dos recursos hídricos, solo, ecossistemas, seqüestro de carbono, regulação climática e turismo.