Educação

Aplicativos de estudo se popularizam entre estudantes que farão Enem

Dividindo-se entre as atribuições diárias do terceiro ano do ensino médio e o trabalho, Rodrigo Enrique, 17 anos, vai além dos métodos tradicionais de estudo para fixar melhor o conteúdo em mente. Boa parte da aprendizagem ele consegue tirar da palma da mão. Não porque seja um conhecedor da arte da quiromancia, mas devido ao fato de se valer de aplicativos de seu aparelho celular para se preparar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece em todo o país nos dias 5 e 6 de novembro.

Assim como o jovem, milhares de estudantes estão, cada vez mais, utilizando os smartphones como auxílio na hora de aprimorar os conhecimentos para o Enem. De olho nessa realidade, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) lançou no começo do mês a campanha Pró-Enem, disponibilizando gratuitamente o Geekie MT, MecFlix, Prepara Mais e TV Escola – plataformas digitais que oferecem simulados semelhantes aos do Exame, exercícios comentados e videoaulas.

Rodrigo, que é aluno da escola estadual Liceu Cuiabano, em Cuiabá, tem como preferência o Geekie MT e o MecFlix. Ele pretende cursar Direito e utiliza as ferramentas diariamente como complemento ao aprendizado obtido em sala de aula. “Os aplicativos facilitam bastante, pois podemos estudar de qualquer lugar. Além disso, funcionam muito bem para que a gente possa revisar o conteúdo e tirar dúvidas de uma maneira mais didática, leve”.

Aluna do terceiro ano do ensino médio da escola estadual Presidente Médici, Débora Letícia Ferreira, 16 anos, conta com o Geekie MT para conseguir uma vaga na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) para o curso de Sociologia. Ela, que relata possuir mais dificuldades com as disciplinas na área de exatas, aponta a capacidade para sanar dúvidas como sendo uma das principais vantagens das plataformas digitais. “Dias atrás, por exemplo, eu não conseguia entender um cálculo que envolvia esfera, na parte de Geometra Espacial. Com o aplicativo (Geekie), foi possível esclarecer tudo e resolver as questões seguintes sobre o assunto”, disse Débora.

Estudante do mesmo ano e da mesma escola que Débora, Stephany Neves, 17 anos, pretende aprofundar os estudos nessa última semana que antecede o Enem. E, para isso, explorará também os aplicativos, para manter os conteúdos frescos na memória. “É a melhor maneira de revisar o que foi repassado em sala de aula, após um dia de estudos”, argumenta a jovem, que pretende se tornar psicóloga e irá encarar o Enem pela primeira vez.

O professor do ensino médio, Ricardo de Oliveira Silva, vê o uso de aplicativos de estudo como “algo natural, já que os jovens de hoje em dia vivem com o celular na mão”. Para ele, a utilização de tecnologias no processo de aprendizagem do aluno deve ser incentivada, pois a aquisição do conhecimento não está mais concentrada na escola. Nesse sentido, segundo o educador, o papel do professor no ambiente escolar também precisa mudar, apostando, por exemplo, em aulas mais reflexivas e interativas, e menos expositivas.

Atualmente, Mato Grosso conta com 161.842 alunos matriculados no Ensino Médio, seja no regular ou na Educação de Jovens e Adultos (EJA).