Educação

Nova escola estadual será inaugurada em município mato-grossense

O governo vai entregar à população do município de Nova Marilândia a nova escola estadual Muralha de Miranda Passos. A unidade passa a funcionar a partir do dia 15 do próximo mês. Foram investidos R$ 2,7 milhões em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O prédio tem 12 salas de aula, laboratório de informática, espaço para biblioteca e demais dependências administrativas, além de quadra coberta, e funcionará em gestão compartilhada com o município. “Temos nove escolas e 11 quadras para inaugurar no Estado”, pontuou o secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto.

De acordo com o prefeito Wener Santos, que compareceu à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para tratar do assunto, o mobiliário já chegou e as matrículas para os estudantes da nova escola estão sendo realizadas na escola estadual 1º de Maio. A escola vai oferecer turmas para o Ensino Fundamental e o Ensino Médio, com a disponibilidade para os dois períodos.

A expectativa é de que na data de inauguração da nova escola também ocorra a da creche municipal Tia Eliza. Ou seja, a comunidade local contará com dois novos espaços para atender a demanda este ano.

A gestão compartilhada, segundo Neuza Evangelista, superintendente de Gestão Escolar da Seduc, “visa aproveitar o amplo espaço da escola, em comum acordo, com o objetivo de fazer o melhor para a comunidade”.

A secretária de educação de Nova Marilândia, Maria de Lordes Dalfior, e o diretor da Escola Estadual Primeiro de Maio, Luiz Carlos Fernandes, também participaram da reunião na Seduc.

A nova escola recebeu o nome da professora Muralha de Miranda Passos, uma das referências da área da educação no município. Nascida em Cuiabá, Muralha formou-se em pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Jales, interior de São Paulo.

Conforme informações da assessoria pedagógica do município, Muralha começou a sua trajetória na educação como professora da escola estadual 1º de Maio, em 1997, até o ano letivo a única escola da rede de ensino do Estado na cidade.

A homenageada foi diretora da escola por dois mandatos (1994/1995-1998/1999) e assessora pedagógica de 2003 a 2007. Um ano depois, a professora se aposentou e, em 17 de dezembro de 2014, faleceu, em Cuiabá, vítima de um câncer na coluna. Ele deixou quatro filhos.