Esportes

Criciúma e Atlético-MG ficam no empate na estreia de Argel Fucks

A estreia do técnico Argel Fucks no comando do Criciúma não foi das melhores, isso porque, o Tigre não fez um bom jogo contra o Atlético-MG, nesta quarta-feira, no Heriberto Hulse. O Galo dominou as ações durante praticamente todo o primeiro tempo, dando poucas chances para os catarinenses, placar de 1 a 1 em um duelo com duas expulsões.

O Atlético-MG abriu o placar com um gol de Luan, que desviou, de cabeça, cruzamento de Júnior César. O Criciúma empatou na sequência com Lins, em um gol de meia bicicleta. Apesar da maior intensidade do Galo o marcador ficou na igualdade até o fim. Com o placar, o Atlético-MG sobe para os 32 pontos, contra 25 do Criciúma, que segue na zona de rebaixamento.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG terá compromisso contra o Santos, partida marcada para domingo, no estádio Independência. Já o Criciúma vai visitar o Flamengo, duelo confirmado para domingo, no Maracanã.

O jogo – A expectativa para a hora do jogo era de chuva, o que não se confirmou na prática, mesmo assim, o jogo aéreo prevaleceu no começo da partida, com muitos chutões das defesas e pouca qualidade técnica de ambos os lados. Após um inicio ruim, o Atlético-MG mostrou que tem um time com mais recursos que os catarinenses e procurou trabalhar melhor a bola.

Sem Ronaldinho Gaúcho, que foi poupado, o técnico Cuca optou por uma formação com Luan e Fernandinho se revezando pelos lados do campo, Tardelli mais recuado ajudando na armação das jogadas e Jô centralizado na área, jogando como pivô e explorando as bolas alçadas no meio da zaga do Tigre. Dessa forma, o Galo foi aos poucos dominando as ações e criando as principais chances de marcar.

Aos 14, os mineiros trocaram passes na intermediária e Luan resolveu arriscar arremate contra a meta de Helton Leite, assustando o goleiro do Criciúma. Mesmo jogando em casa, a aposta do Tigre foi nos contra-ataques, mas o time do técnico estreante Argel Fucks encontrou dificuldades na marcação bem encaixada dos atleticanos, que neutralizaram a maioria das investidas dos catarinenses.

A pressão do Galo foi ganhando força e quase resultou em gol de Jô, que aproveitou cruzamento de Marcos Rocha e obrigou Helton Leite a fazer grande defesa. O melhor momento do Criciúma aconteceu em um dos poucos descuidos da defesa alvinegra, que permitiu cabeceio de Daniel Carvalho, que acertou o travessão de Victor.

A insistência do Atlético-MG foi premiada aos 41, quando a equipe mineira conseguiu boa trama ofensiva, com Júnior César chegando à linha de fundo e cruzando com qualidade, Jô não alcançou, mas Luan apareceu por trás da defesa e testou para as redes abrindo os trabalhos. O Galo não teve tempo para comemorar, isso porque, no minuto seguinte o Criciúma empatou com Lins, que aproveitou um corte mal feito pela zaga alvinegra e de meia bicicleta deixou tudo igual.

Na volta para a etapa complementar, o Atlético-MG seguiu melhor no jogo, mas os donos da casa adiantaram a marcação, dificultando a vida do Galo. O cenário da partida começou a mudar aos oito minutos, quando Victor tentou cortar uma bola fora da aérea e tocou com a mão na bola, sendo expulso pelo árbitro capixaba Pablo dos Santos Alves.

Com um jogador a mais em campo, o Criciúma passou a ser mais ofensivo, com os atleticanos atuando no contra-ataque, explorando a velocidade de Luan e Fernandinho, em uma inversão do panorama do jogo. Atento, Cuca trocou o cansado Josué por Leandro Donizete, reforçando a marcação no meio-campo com um atleta mais eficiente.

Com a expulsão de Victor, Cuca sacou Tardelli para a entrada de Giovanni, que trabalhou muito no tempo que esteve em campo. Aos 27, Fabinho lançou Lins, que finalizou cruzado, obrigando o goleiro atleticano a se esticar todo para evitar a virada mandando para escanteio. Nos minutos finais, o Criciúma também perdeu um jogador expulso, já que João Victor acertou cotovelada em Fernandinho e recebeu o segundo amarelo.

Com igualdade no placar e no número de atletas em campo, o jogo ficou aberto com as duas equipes perseguindo a vitória. Apesar da insistência dos dois lados, o marcador permaneceu inalterado até o apito final de Pablo dos Santos Alves no Heriberto Hulse.