Esportes

Reservas saem do banco e marcam no empate entre Grêmio e Santos

Na partida que abriu a 22ª rodada do Brasileirão, Grêmio e Santos ficaram no 1 a 1 na Arena, em Porto Alegre, nesta quarta-feira. A curiosidade fica por conta dos autores dos gols: Elano, ex-jogador do Peixe, fez o gol gremista, mas Willian José, ex-Tricolor, empatou no final do jogo. Ambos saíram do banco de reservas para marcarem os gols da partida.

A primeira etapa foi equilibrada e com poucas chegadas perigosas. Pouco criativo, o time gaúcho insistiu muito em cruzamentos para a área, facilitando o trabalho da zaga santista. Na etapa final, o Tricolor voltou mais ofensivo, mas seguia criando pouco. Renato então mexeu no time, pôs Vargas e Elano em campo, e numa jogada do chileno para o ex-santista saiu o gol gremista. Quando o time gaúcho dominava, Willian José girou em cima da zaga gaúcha e fez o gol de empate.

Com o empate, o Grêmio chega a 38 pontos, ainda na 3ª colocação, enquanto o Peixe sobe para 29. O Tricolor volta a campo no sábado, em Salvador, onde enfrenta o Vitória. Já o Peixe recebe o Criciúma, domingo, na Vila Belmiro.

O jogo – O primeiro tempo foi equilibrado. O Grêmio teve a primeira finalização logo a dois minutos, com Alex Telles, mas foi o Santos que tomou a iniciativa nos minutos iniciais: aos sete minutos, Thiago Ribeiro trouxe para dentro e chutou de fora da área, raspando o travessão. Aos nove, Gabriel recebeu passe após boa jogada de Galhardo, mas chutou sobre a zaga gremista.

A primeira boa chegada do Grêmio foi de bola parada. Aos 13, Pará levantou falta na cabeça de Rhodolfo, que tocou por cima com perigo. A partir daí, o time gaúcho ensaiou uma pressão, marcando a saída de bola santista, mas criava e finalizava pouco, como num cruzamento de Pará para Barcos, aos 27, no qual o argentino furou na pequena área e viu a zaga cortar.

A pressão gremista diminui no fim da etapa inicial, e o Peixe cresceu: aos 41, Alison driblou Rhodolfo e soltou uma bomba na trave de Dida. Foi a última chegada perigosa de algum dos dois times no primeiro tempo, que terminou sob vaias dos torcedores na Arena do Grêmio.

Com marcação adiantada, o Grêmio tentou ir para cima no segundo tempo, mas ao mesmo tempo passou a ceder espaços para o Santos. Aos oito minutos, Barcos fez boa jogada pela esquerda e cruzou, mas ninguém aproveitou. Na sequência, Pará cruzou, a zaga cortou mal e Zé Roberto chutou alto demais. O Peixe respondeu num bom chute de fora da área de Cícero, defendido por Dida com dificuldade.

Ainda com problemas criativos, Renato mexeu no Grêmio aos 16 minutos, tirando Bressan e colocando Elano, que voltou ao time após 38 dias. Com isso, o Tricolor passou do 3-5-2 para o 4-4-2. No entanto, a alteração não trouxe alteração significativa na articulação gremista. Aos 26, Vargas entrou para dar velocidade e agressividade ao time no lugar de Zé Roberto.

Logo em sua primeira chegada, o chileno abriu a defesa do Peixe, driblou três marcadores e serviu o outro reserva que havia entrado, Elano, que fuzilou Aranha: 1 a 0. Devido à sua história no Santos, Elano não comemorou, mas seguiu criando problemas para seu ex-clube: aos 28, ele cruzou na cabeça de Kleber, que entrou sozinho e cabeceou raspando a trave. Aos 32, o camisa 7 chutou da intermediária e quase surpreendeu Aranha.

O Santos saiu de trás para tentar o empate e passou a abrir espaços para o contragolpe. Num deles, aos 38, Vargas deu a Elano, que cruzou para Barcos, mas a zaga chegou na hora que o argentino iria concluir e impediu o gol. Na jogada seguinte, o empate: Willian José recebeu na entrada da área, girou e chutou no cantinho de Dida, empatando o jogo. No fim, Thiago Ribeiro perdeu a chance da virada, com grande defesa do goleiro gremista.